segunda-feira, 11 de junho de 2007

Era uma vez, a cidadania...
Segundo o dicionário Aurélio, “cidadania é a qualidade ou o estado do cidadão”, e “cidadão é o indivíduo no gozo dos direitos civis e políticos de um Estado, ou no desempenho de seus deveres para com este”.
Não preciso nem dizer que votar por obrigação está longe de ser um ato de cidadania. Muita gente acha que sim. Mas vamos lá...o cara é OBRIGADO a votar, é OBRIGADO a se alistar no exército, é OBRIGADO a fazer outras milhares de coisas e ainda tem a cara-de-pau de dizer que está em dia com seu dever de cidadão. Aaaah, faça-me o favor, viu! Queria só ver se o voto não fosse obrigatório aqui no Brasil. Presidente ia ser eleito com mil votos, e olhe lá...
Um dia desses, em uma aula de “ética e legislação em jornalismo”, discutia-se sobre preconceito. Você pergunta pra alguém se existe preconceito e a resposta é: sim, claro que existe. E depois pergunte se essa mesma pessoa é preconceituosa. A resposta, na maioria das vezes, será um sonoro NÃO, acompanhado por extrema indignação. Mas se essa pessoa não é preconceituosa, nem eu e menos ainda você, onde é que está esse preconceito todo?
A mesma coisa digo sobre a cidadania. Todos juram de pés juntos que são “cidadãos”, mas se não fossem obrigados, duvido muito que alguém pararia na faixa de pedestres pra atravessarem à rua.
Reclamar é muito bom. Eu por exemplo, adoro! Mas é preciso o mínimo de bom senso para saber a hora de parar de reclamar e começar a agir. O povo quer participar, quer isso e quer aquilo, mas quando tem que fazer o mínimo, cruza os braços, empaca feito mula velha e não tem quem os faça sair de lá.
Falar que tudo é um absurdo é fácil. Se indignar com a roubalheira e dizer que nos Estados Unidos as coisas funcionam então, nem se fala... Mas, desculpa destruir o castelinho de areia, só falar não resolve. Achar que o problema não é nosso não vai resolver. Por acaso alguém aqui está achando que um belo dia, todos os corruptos do Brasil acordarão e tomarão a decisão de não mais roubar? Queridinho, acorda! Isso aqui, embora pareça, não é a Disneylândia.
Se cada um fizer a sua parte (maldita demagogia!) tudo se resolve. E se dói pensar que você tem que fazer alguma coisa só porque é obrigado, comece a pensar que está fazendo tudo de propósito. E assim viveremos feliiiiizes para sempre...
Dedicado à Marianna Brandão

sexta-feira, 1 de junho de 2007

Participe do Projeto Vida: cada um cuida da sua!
Incrível como a fofoca recebe atenção especial nas rodas de conversa. As mulheres então, coitadas, estão fadadas a viver taxadas como fofoqueiras. Pudera... a maioria não pode saber de um “babado” que quer logo compartilhar com alguém. Mas fique claro! Estou dizendo que é a MAIORIA e não todas. Não vamos generalizar.
Mas isso não é o pior de tudo. O pior (e muito pior) é que a fofoca tem entrado na igreja de forma tão sorrateira que já estamos nos acostumando com ela. Afinal de contas, é só um comentário... Não tem problema nenhum! Não mesmo... Se você não vê “problema nenhum” em contrariar a Palavra de Deus, tá tudo certo!
Já recebi milhões de e-mails falando sobre fofoca, mas o que mais chamou minha atenção foi um que dizia mais ou menos o seguinte: “Uma vez alguém me contou um segredo. E eu contei esse segredo pra outra pessoa. E quem me contou o segredo me disse: Se eu quisesse que outra pessoa soubesse, teria contado pra ela, não pra você.”
Isso também é fofoca. Só pra aproveitar o uso das aspas, aqui vai mais uma que eu acho interessante: “A fofoca é o mais desprezível dos vícios; pois, por não poder influenciar o espírito e o caráter dos sábios, rasteja como uma serpente venenosa e refugia-se na alma dos fracos, tolos e ociosos.”
Fracos, tolos e ociosos, sim. Por que se fossem fortes, resistiriam à tentação de falar da vida alheia. Se fossem sábios, saberiam que isso não leva a nada. E se tivessem o que fazer, não perderiam tempo falando de pessoas, mas discutiriam assuntos que fossem, no mínimo, mais produtivo.
E só pra finalizar (por que o tempo é pouco). Algumas referências pros fofoqueiros de plantão...
Marcos 10:19 - O mandamento: “Não dirás falso testemunho…”
Levítico 19:16 - “Não andarás como mexeriqueiro entre o teu povo….”
Êxodo 23:1 - “Não espalharás notícias falsas,nem darás mão ao ímpio,para seres testemunha maldosa.”
Mateus 15:19 - “Porque do coração procedem maus desígnios….falso testemunho,blasfêmias.Isso é o que contamina o homem.”
1 Pedro 2:1 - “Despojando-vos,portanto,de toda maldade e dolo,de hipocrisias e invejas e toda sorte de maledicência.”
Efésios 4:31 - “Longe de vós toda amargura e cólera,ira e gritaria,e blasfêmias,bem como toda malícia.”