segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Brasil: a total bundalização do ser.


Dia desses andei lendo algumas crônicas do Jabor e fiquei pensando: “Nossa, como ele fala das bundas brasileiras!” Mas sabe que ele ta certo?
No Brasil existem praticamente dois tipos de mulheres: as que têm bunda e as que não têm. E as que têm quase inexistem, pois são substituídas pelo imenso adereço que carregam. Quer dizer...elas até existem, mas em um formato 2x1. Bunda e mulher em um único corpo. Não preciso nem dizer quem está em desvantagem.
Lembro que há muuuuuuuuuuuuito tempo atrás, na época do É o Tchan (falando neles, que fim tiveram?) a Carla Perez fez um seguro do seu bumbum, tamanha a importância dispensada à essa parte. Mas e seguro de vida, será que ela se lembrou de fazer?
Tem também um desses textos de autoria duvidosa que circulam pela net falando que depois de tantas decepções com mulheres com conteúdo, é melhor escolher as de bunda grande. O que vier a mais é lucro.
Meu Deus! Onde é que esse mundo vai parar? E as magrelas (pobre de mim...)? Eternos cabides? Dá até medo de pensar.
“Olha, você foi muito bem em todas as entrevistas e testes, mas ficou faltando o mais importante: 120cm de quadril.” Ó vida! Ó céus!!!